Marcadores

19 setembro 2011

Design de Personagens: Disney, Warner e Hanna-Barbera

Ainda observando como os antigos mestres trabalhavam, assista...

Pato Donald (Disney)


Patolino (Warner Bros)


Manda Chuva (Hanna-Barbera)


Embora genericamente classificados de cartoons, os três exemplos são linguagens de animação bem diferentes. Grosso modo, podemos pensar nessas linguagens como: Animação Estruturada para Disney, Animação Solta para Warner e Animação Limitada para Hanna-Barbera.

Comparando o Pato Donald e o Patolino.
Em Donald, mesmo nos momentos em que a Distorção é necessária, ela afeta sutilmente a estrutura básica do personagem não comprometendo sua anatomia. Na cabeça, por exemplo, não importa a posição ou a expressão, a forma básica de uma esfera é constante. Já o Patolino parece não possuir ossos. Seu corpo é capaz de curvas radicais e deformações extremas.



Em Patolino, não existe uma preocupação muito acentuada com volume; compare seus pés com o tecido da roupa levantada por Donald, o tecido da camiseta de Donald parece ter mais volume e ocupar mais lugar no espaço que os pés do Patolino.



Outra coisa bem legal nessa comparação é que alguns membros do Patolino mudam de proporção conforme a intenção do desenho. Na pose inferior, que ele parece brigando, sua mão é consideravelmente maior que no desenho ao lado. Isso é aceitável pela intenção da pose, mas pareceria um erro em Donald.

Acrescentado Hanna-Barbera à comparação
Já em Spook, um dos capangas de Manda-Chuva, a estrutura são poucas formas chapadas. As figuras tendem a ser simples, grandes, planas, claras e sem sutilezas. O que seria a anatomia, aqui é uma única, ou poucas formas básicas que dominam o personagem. Todo o seu corpo parece feito de pedaços de cartão. As partes são totalmente removíveis e animadas separadamente.



A estrutura, tanto de Donald quanto de Patolino, é composta de formas geométricas que ficam totalmente cobertas pelos seus detalhes e acessórios (vide o desenho de Donald). Embora determinantes, essas formas não devem aparecer no resultado final sob o risco de denunciar a falsidade do personagem.
Para Hanna-Barbera é o contrário. As figuras chapadas que são a própria forma do personagem devem ser ressaltadas ao máximo. A idéia é que a platéia reconheça esse desenho como, quem diria... um desenho! Não é legal?!!

Tem mais algumas coisas aí pra você fazer sua própria comparação:

Disney


Warner



Hanna-Barbera



Semana que vem, mostro um pouco de como essas tradições trabalham a expressão fácil de seus personagens.

Nenhum comentário: